Início > Moçambique

MAR DE OPORTUNIDADES:

Desbravando o Potencial da Economia Azul no Turismo de Moçambique

A economia azul, focada no desenvolvimento sustentável através da exploração dos vastos recursos marinhos e aquáticos, promete impulsionar o crescimento económico, enriquecer os meios de subsistência e preservar ecossistemas. Moçambique, com a sua extensa linha costeira de cerca de 2500 quilómetros e incomparáveis riquezas naturais subaquáticas, encontra-se numa posição privilegiada para capitalizar esta promessa.

MOÇAMBIQUE

CFM e MPDC assinam Acordo para serviço de logística eficiente

A Empresa Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique (CFM) e a Sociedade de Desenvolvimento do Porto de Maputo (MPDC) assinaram, durante um encontro de alinhamento estratégico, um acordo de nível de servico (SLA – Service Level Agreement) que vai permitir alcançar uma solução ferro-portuária competitiva e rentável para o Corredor Logístico de Maputo.

A assinatura do SLA enquadra-se no contexto do trabalho conjunto entre CFM e MPDC, com o objectivo de aumentar a carga ferroviária e melhorar o actual rácio entre estrada e ferrovia.

Moçambique quer concertação internacional para punir severamente pesca ilegal

O Presidente de Moçambique, Filipe Nyusi, apelou, em Maputo, a uma "concertação regional e internacional" para que a pesca ilegal seja classificada como "crime transnacional" e "severamente punida".

"O nosso país é por uma concertação regional e internacional para que a pesca ilegal, desregulamentada e não declarada seja classificada como crime transnacional, severamente punida, face aos seus efeitos gravemente nocivos", disse Nyusi, na cerimónia de lançamento da primeira pedra da construção do Centro Regional de Coordenação de Monitorização, Controlo e Fiscalização (MCSCC) da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC).

PEIXE EM CATIVEIRO:

Nampula prevê produzir mais de 200 mil toneladas

A PROVÍNCIA de Nampula prevê para o ano em curso produzir cerca de 288 mil toneladas de peixe em cativeiro, contra 134 mil de igual período de 2023.

Ao todo, a província prevê produzir cerca de 388 mil toneladas de peixe referente à produção artesanal, industrial e de pequena escala, sendo 100 mil toneladas da pesca artesanal, contra 97 mil do ano passado.

MOÇAMBIQUE

SISTEMA FERROVIÁRIO: Carga manuseada cresce 8%

A MELHORIA das infra-estruturas, aquisição e modernização dos equipamentos e material circulante e capacitação do capital humano têm vindo a aumentar a quantidade de carga manuseada no sistema ferroviário nacional. A título de exemplo, de Janeiro a Dezembro do ano passado foram transportados 26,6 milhões de toneladas líquidas, o que corresponde a um crescimento de oito por cento relativamente a 2022.

Nas linhas operadas pelo CFM foram movimentados 12,4 milhões de toneladas líquidas, um aumento de 1% comparativamente a 2022, em que se transportaram 12.3 milhões de toneladas.

CONFERÊNCIA A 3 DE JUNHO

A arqueologia Subaquática em Moçambique

Segunda-feira, dia 3 de junho, o Centro Nacional de Arqueologia Náutica e Subaquática (CNANS) organiza uma conferência sobre “A Arqueologia Subaquática em Moçambique”. Os investigadores Yolanda Teixeira Duarte e Ricardo Teixeira Duarte vão partilhar experiências, a partir das 18h00, nas instalações do CNANS, sobre o contributo do Centro de Arqueologia Subaquática (CAIRIM) da Universidade Eduardo Mondlane (UEM), sediado na Ilha de Moçambique, no conhecimento da história marítima e da arqueologia subaquática moçambicanas.

Durante a sessão, serão apresentados alguns exemplos do trabalho realizado, que tem incidido na extensa pesquisa de arquivos e análises documentais, nos aspetos técnicos e arqueológicos dos trabalhos realizados nas estações arqueológicas e na complexidade envolvida na identificação de navios naufragados, onde se incluem alguns sítios arqueológicos que são património cultural subaquático de origem portuguesa.

MOÇAMBIQUE

CFM Logistics inicia operações nos petróleos

A EMPRESA CFM Logistics, criada há menos de um ano, já iniciou as operações portuárias ligadas à indústria de petróleo e gás no Porto de Pemba, província de Cabo Delgado, visando adicionar novos negócios àquele empreendimento.

Trata-se de uma firma criada pela Empresa Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique (CFM), sendo por si exclusivamente detida, no quadro da implementação da sua estratégia de participar nos negócios da indústria petrolífera no país.

MPDC:

«Parcerias Público-Privadas Acrescentam Valor ao Porto de Maputo»

O director-executivo da Sociedade de Desenvolvimento do Porto de Maputo (MPDC), Osório Lucas, considera que as Parcerias Público-Privadas (PPP) acrescentam mais valor ao porto, uma vez que possibilitam a expansão da infra-estrutura, concorrendo para mais eficiência, através do aprimoramento da tecnologia e contratação de mais mão-de-obra (constituída por 99% dos Moçambicanos).

O responsável falava durante o workshop sobre “Parcerias Público-Privadas (PPP), um motor de crescimento”, promovido pela consultora Ernst & Young (EY) e a JLA Advogados, que discutiu, na essência, oportunidades e desafios do modelo de negócio para o crescimento económico em Moçambique.

“Tem sido demonstrado que a Parceria Público-Privada no Porto do Maputo acrescentou valor na medida em que aumentou a capacidade de manuseamento e gerou empregos, receitas líquidas para o Estado e até oportunidades para pequenas e médias empresas (PME), pois temos um ecossistema muito extenso de fornecedores de serviços ao porto que, em condições normais, não estariam se a infra-estrutura não tivesse atingido este nível de desenvolvimento”, explicou Osório Lucas.

MOÇAMBIQUE

MPDC e CFM Lançam Sistema de Integração Ferro-Portuário

A Maputo Port Development Company (MPDC), concessionária do Porto de Maputo, e a empresa Portos e Caminhos-de-Ferro de Moçambique (CFM) lançaram, em Maputo, o Rail2Port – um sistema que integra as duas empresas no manuseio de carga mineira ferroviária, da África do Sul para o Porto de Maputo.

Segundo o portal de notícias Carta de Moçambique, o sistema já está a ser implementado pelas duas empresas desde Março passado. A solução permite a visibilidade completa de carga ferroviária transportada por comboios dos CFM até ao Porto de Maputo, garantindo a fiabilidade dos dados, uma planificação conjunta mais eficiente e uma melhor alocação de recursos.

Veja aqui as oportunidades de investimento com alto potencial de rentabilidade em Moçambique

Moçambique, uma nação cheia de potencial, oferece um mercado vibrante para os empresários que procuram novos horizontes. Mas por onde é que se começa? Compreender as tendências do consumidor e os pontos fortes de exportação do país é a chave para desbloquear o sucesso. Este artigo analisa recursos valiosos para lançar luz sobre o panorama empresarial de Moçambique em 2024.

MOÇAMBIQUE

Maior Navio de Dragagem Volta a Operar no Porto da Beira Após Sete Anos Paralisado

O maior navio de dragagem voltou ao Porto da Beira, na província de Sofala, no centro do País, ao fim de sete anos de reparação na África do Sul, em consequência de uma avaria provocada por um choque com um navio cargueiro que ostentava a bandeira do Panamá, acidente que provocou avultados danos materiais.

Segundo o PCA da Empresa Moçambicana de Dragagem (Emodraga), Domingos Bié, as investigações realizadas na altura apontaram o mau tempo como a causa do acidente, associado à falta de visibilidade em alto mar.

Bié referiu que o retorno da draga representa um ganho para a empresa, tendo em conta a sua capacidade, já que antes da avaria assegurava 80% das actividades.

MOÇAMBIQUE

Missão empresarial a Portugal com resultados promissores

OS 80 empresários moçambicanos dos sectores de agro-indústrias, energia, turismo, transporte e finanças, que realizaram uma missão a Portugal na perspectiva de buscar parcerias, alcançaram resultados encorajadores que prenunciam o desenvolvimento de negócios a breve trecho.

A missão enquadrou-se na visita que o Presidente da República, Filipe Nyusi, efectuou a Portugal a convite do seu homólogo, Marcelo Rebelo de Sousa, para, entre outras actividades, participar nas comemorações dos 50 anos da Revolução de Abril.

Sector empresarial moçambicano quer reverter queda da relação comercial com Portugal

O sector empresarial moçambicano quer travar a queda do comércio com Portugal, tentando ser destino da internacionalização de empresas portuguesas e fornecendo mão-de-obra, entre outras oportunidades, disse fonte da Confederação das Associações Económicas de Moçambique (CTA).

“Moçambique e Portugal têm relações históricas de comércio, culturais e outras, mas notamos que está a haver uma redução daquilo que é o comércio entre as duas partes”, disse à agência Lusa Eduardo Sengo, director executivo da CTA, entidade que preparou uma missão que trouxe dezenas de empresários moçambicanos ao Porto, a Sines e à capital portuguesa.

Para o responsável, que falava no final de uma visita ao Porto de Sines, no âmbito da missão empresarial que culmina, quarta-feira, com o Fórum de Negócios Moçambique-Portugal em Lisboa, é urgente reforçar as relações comerciais entre os dois países.

MOÇAMBIQUE

Nacala Logistics reforça a capacidade logística de transporte de carvão

Nacala Logistics reforça a capacidade logística de transporte de carvão como parte de seus esforços para fortalecer a capacidade logística no transporte de carvão. Os primeiros 100 vagões desembarcaram no Porto de Nacala.

O CEO da Nacala Logistics expressou entusiasmo com a chegada dos novos vagões, destacando a importância desse marco para a empresa. Ele enfatizou o compromisso contínuo da empresa em fornecer serviços logísticos de alta qualidade e sua prontidão para enfrentar os desafios do mercado.

MOÇAMBIQUE

CFM na região

Sendo Moçambique membro da SADC, dentre várias directrizes, a nível dos transportes, todos os membros são orientados pelo Protocolo da SADC no que diz respeito às áreas de Transportes, Comunicações e Meteorologia.

No ramo ferroviário existe uma associação das empresas ferroviárias denominada Associação das Empresas Ferroviárias da África Austral (SARA), cujo objectivo principal é promover os interesses comerciais das empresas de caminhos-de-ferro da região.

MOÇAMBIQUE

Porto de Maputo Recebeu 14 Navios de Cruzeiro em 2023 e Conta Com Nove Escalas Até Maio

O Porto de Maputo recebeu em 2023 um total de 14 navios de cruzeiro, com mais de 16 mil turistas, e este ano, até Maio, o calendário prevê nove escalas. De acordo com o relatório de execução orçamental de 2023 do Ministério da Economia e Finanças, os navios eram provenientes da Ásia, Europa e de alguns países da África Austral.

Gás tem potencial para render USD 100 mil milhões a Moçambique

A consultora Deloitte concluiu que as reservas de gás natural de Moçambique representam receitas potenciais de 100 mil milhões de dólares, destacando a importância internacional do país na transição energética.

“As vastas reservas de gás do país poderão fazer de Moçambique um dos 10 maiores produtores mundiais, responsável por 20% da produção de África até 2040”, refere o relatório de 2024 da consultora internacional sobre as perspectivas energéticas de África, dedicado a Moçambique.

MOÇAMBIQUE

Missão empresarial a Lisboa e Porto | 4 e 5 de Abril

Faça parte da missão empresarial a Lisboa e Porto e explore as oportunidades de negócios e de parcerias com empresários portugueses, com foco nos seguintes sectores:

• Petróleo e Gás
• Agro-indústria
• Transportes e Logística
• Finanças e Serviços
• Turismo
• Energias renováveis

MOÇAMBIQUE

BAD empresta USD 40 milhões aos CFM para melhorar infra-estruturas

O Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) aprovou um empréstimo de 40 milhões de dólares à empresa pública Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique (CFM). Este financiamento deve apoiar o plano estratégico da firma para o período de 2021 a 2024, que tem como objectivo principal melhorar a infra-estrutura ferroviária no país.

A empresa Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique, EP (CFM) continua atrás de melhorias na sua infra-estrutura. Desta vez, beneficiou de uma subvenção do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) no valor de 40 milhões de dólares para aquisição material circulante para a linha ferroviária de Ressano Garcia.

MOÇAMBIQUE

Insuficiência de fundos compromete licenciamento de artes pesqueiras

A insuficiência de recursos financeiros e materiais está a comprometer o trabalho de licenciamento de artes pesqueiras em Niassa. Por isso, o sector das pescas em Niassa tem falhado sistematicamente o alcance da meta de licenciamento das artes pesqueiras e a monitorização desta actividade.

Em 2023, a direcção provincial de administração nacional de pescas em Niassa conseguiu licenciar mais de 1750 artes de pesca, de um plano de duas mil e quatrocentas, nos distritos do Lago, Mandimba, Lichinga e Mecanhelas.

 Vídeo

Sobrevoando a Restinga e a cidade do Lobito (Angola)

 XIII Congresso da APLOP | Ireneu Camacho | ENAPOR – Portos de Cabo Verde

 XIII Congresso da APLOP | Eneida Gomes | ENAPOR – Portos de Cabo Verde

 XIII Congresso da APLOP | Joaquim Gonçalves | APDL

 XIII Congresso da APLOP | Ricardo Roque | A Marca APLOP – Novos Caminhos

 XIII Congresso da APLOP | António Santos | Estudo de Mercado dos Portos dos PALOP

 XIII Congresso da APLOP | Dinis Manuel Alves

 XIII Congresso da APLOP | Segundo período de debate

 XIII Congresso da APLOP | Debate

 XIII Congresso da APLOP | Apresentação do Painel 1

 Encerramento do XIII Congresso da APLOP

 XIII Congresso da APLOP | José Renato Ribas Fialho | ANTAQ

 XIII Congresso da APLOP | Cerimónia de Abertura | Ireneu Camacho

 XIII Congresso da APLOP | José Luís Cacho

 XIII Congresso da APLOP | Massoxi Bernardo | Porto de Luanda

 XIII Congresso da APLOP | Francisco Martins | Porto de Suape

 XIII Congresso da APLOP | Cerimónia de Abertura | Murillo Barbosa

 XIII Congresso da APLOP | Cerimónia de Abertura | Abraão Vicente

 XIII Congresso da APLOP | Cerimónia de Abertura | Jucelino Cardoso

 XIII Congresso da APLOP | Belmar da Costa | Curso de Introdução ao Shipping

 XIII Congresso da APLOP | Joaquim Piedade | Zona Franca do Dande

 Constituição da APLOP

Constituição da APLOP

Foto de família