Início > Pescas

Nature revela que 75% dos navios de pesca industrial escapam a qualquer rastreio

Cerca de 75% de todos os navios de pesca industrial não são rastreados publicamente, indica um estudo científico publicado na revista Nature. O artigo, que identifica os “pontos cegos” do mapa global das embarcações marítimas, revela ainda que um quarto dos navios de transporte e energia também não é monitorizado.

NAMIBE, ANGOLA

Governo lança Censo de embarcações de pescas

O Governo Provincial do Namibe lançou o Censo de embarcações de pesca artesanal e de subsistência, no quadro da melhoria da gestão dos recursos marinhos.

Em parceria com os órgãos que intervêm na actividade marítima, o Censo vai permitir fazer o levantamento do número real de embarcações, localização e tipo de infra-estruturas que suportam a actividade marítima na província.

ANGOLA

Chuvas dificultam captura de peixe na comuna do Quicombo

As fortes chuvas que se abateram sobre a cidade do Sumbe, província do Cuanza Sul, estão a dificultar a captura de peixe na comuna do Quicombo, apurou a ANGOP.

De acordo com os pescadores da região, devido às quedas pluviométricas registadas com regularidade na circunscrição, o mar está a receber, por excesso, água doce e lixo, situação que está a afugentar os peixes para zonas mais profundas.

ANGOLA

«Plano a Pesca» financia empresários do ramo no Zaire

28 empresários ligados ao sector das pescas, na província do Zaire, beneficiaram, no primeiro trimestre deste ano, de créditos bancários, no âmbito do projecto “Plano a Pesca”, gizado pelo Executivo angolano, com vista a impulsionar a pesca artesanal na região.

A informação foi prestada à imprensa, no Soyo, pelo Presidente da Associação de Empresários e Empreendedores no Zaire, Domingos Judite.

ANGOLA

CICOS defende criação de base de dados para o controlo das embarcações artesanais

Os membros da Comissão Internacional da Bacia do Congo-Oubangui-Sangha (CICOS), recomendaram, no Soyo, Zaire, os países membros no sentido de apoiarem as autoridades marítimas angolanas na criação de base de dados para o controlo e fiscalização das embarcações artesanais.

A recomendação consta do comunicado final, produzido no seminário nacional sobre as normas de construção de equipamento e manutenção das embarcações de navegação e validação dos Regulamentos Comuns adoptados pela (CICOS), que durante três dias decorreu na cidade do Soyo.

ANGOLA

Apreendidas embarcações com 201 toneladas de pescado

Dois navios de pesca contendo cerca de 201 toneladas de pescado diverso, foram apreendidos pelas autoridades marítimas da província do Zaire, por pesca ilegal.

As duas embarcações semi-industriais, com matrículas nacionais, realizavam pesca de arrasto na costa marítima da comuna de Kinzau, município do Tomboco.

ANGOLA

Namibe atinge 81,6 mil toneladas de pescado

A produção de pescado na província do Namibe atingiu 81,6 mil toneladas, em 2022, verificando-se um aumento na ordem de 32% face ao período homólogo.

Segundo dados a que ANGOP teve acesso junto do Gabinete Provincial das Pescas e do Mar no Namibe, do total de desembarque de pescado, 35% destinou-se ao consumo directo, 64,9% o processamento e congelação e 0,1% para conserva.

UE identifica Camarões como país não cooperante na luta contra a pesca ilegal

A Comissão Europeia decidiu identificar os Camarões como país não cooperante na luta contra a pesca ilegal, não declarada e não regulamentada (INN), dando-lhe o chamado “cartão vermelho”. Assim, os Estados-membros da União Europeia (UE) recusarão a importação de produtos da pesca provenientes dos Camarões, mesmo quando acompanhados de certificados de captura que tenham sido validados pelas autoridades nacionais.

PORTO AMBOIM, ANGOLA

PIIM financia construção de mercado de peixe

O Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM) vai financiar, este ano, a construção de um mercado de peixe fresco, com um custo de 200 milhões de kwanzas no Porto Amboim, província do Cuanza Sul.
O município do Porto Amboim teve, nos últimos dois anos, uma captura de mais de 10 mil toneladas de peixe diverso, envolvendo a pesca artesanal e semi-industrial.

MOÇAMBIQUE

Superada meta de exportação de peixe

956,5 toneladas de pescado foram exportadas, em 2022, das quais 442,3 resultantes da pesca artesanal e 514,2 de aquacultura, superando a meta inicialmente prevista de 930 toneladas.
África do Sul, Zâmbia, Congo, Malawi e Zimbabwe foram os pontos de chegada dos produtos pesqueiros exportados, tal como fez saber a directora provincial de Agricultura e Pescas, Odette Naftal, aquando da apresentação do balanço anual das actividades do sector.

NOS PRIMEIROS NOVE MESES:

Produção pesqueira moçambicana atingiu mais de 341 mil toneladas

De acordo com a informação partilhada em Bilene, Gaza, por Lídia Cardoso, Ministra do Mar, Águas Interiores e Pescas, durante as cerimónias centrais do Dia Mundial da Pesca, celebrados sob o lema “Por uma pesca e aquacultura sustentáveis, contribuindo para a integridade dos ecossistemas aquáticos”, a produção pesqueira nacional é dominada pelo subsector da pesca artesanal, que é responsável por 95 por cento da produção global do sector.

Quase metade da pesca ilegal no mundo é praticada em África

Quase metade dos navios industriais e semi-industriais envolvidos na pesca ilegal operam em África, e a maioria tem origem chinesa e europeia, segundo um relatório divulgado pela Financial Transparency Coalition (FTC).

A prática não só contribui para a pesca excessiva, como também afecta os países em desenvolvimento, que perdem “milhares de milhões de dólares” em “fluxos de dinheiro ilícito” ligados à pesca ilegal, não declarada e não regulamentada (INDNR, sigla em espanhol) todos os anos.

MOÇAMBIQUE

Sector das pescas regista crescimento de 3%

A Ministra do Mar, Águas Interiores e Pescas Lídia Cardoso disse que, no exercício económico de 2021, o sector registou um crescimento em três por cento, comparativamente ao ano anterior.

Lídia Cardoso, que falava no contexto do Conselho Coordenador da instituição que decorreu em Maputo, sob o lema: Mar, Catalisador da Economia, Hoje e Sempre, avançou ainda que o sector de pescas prevê a captura, até 2024, de 683.000 toneladas de pescado, em todo o país.

O combate à pesca ilegal no Oceano Índico Ocidental

As vastas reservas de peixe do Oceano Índico Ocidental proporcionam subsistência às comunidades costeiras e sustentam uma próspera indústria pesqueira.
Mas há um lado negativo nesta abundância: esta área difícil de controlar tornou-se num epicentro da pesca ilegal que põe agora em perigo o seu futuro.

Exportações brasileiras de pescados cresceram em 2021

As exportações brasileiras de Pescados em 2021 cresceram +28,69% em comparação ao ano anterior, alcançando US$ 348,641 Milhões. Os principais tipos de pescados exportados foram lagostas e peixes congelados, com predominância da tilápia, além dos óleos e gorduras originários da piscicultura.

No Ceará, o setor cresceu +34% chegando a US$ 102 Milhões no mesmo período. Do estado saíram principalmente lagostas, atum, peixes congelados (predominância de pargo), camarões e preparações de pescados em conserva, como por exemplo de sardinhas e salmões.

ANGOLA

Operadores devem respeitar níveis admissíveis de captura de pescado

Os operadores do sector pesqueiro devem respeitar e obedecer ao Total Admissível de Captura (TAC) do pescado em Angola, visando a sustentabilidade, gestão e preservação dos recursos aquáticos no país, realçou, em Luanda, o ministro da Agricultura e Pescas, António Francisco de Assis.

Ao discursar no Conselho Técnico Científico e de Gestão Integrada dos Recursos Aquáticos, o governante defendeu a necessidade de se ajustar/adequar a tipologia e capacidade das embarcações ao TAC, para melhorar a gestão dos produtos pesqueiros e assegurar o presente e futuro das próximas gerações.

Secretária de Estado das Pescas de Angola visita instalação de aquacultura no Porto de Sines

O Porto de Sines recebeu uma delegação angolana presidida pela Secretária de Estado das Pescas do governo daquele país, Esperança Eduardo Francisco, com o objetivo de conhecer o funcionamento da unidade de aquacultura em offshore existente neste porto. A visita foi ainda acompanhada pelo Embaixador de Angola em Portugal, Carlos Alberto Fonseca, e por representantes de direções-gerais dos ministérios que tutelam os temas “mar e pescas” de ambos os países.

Fernanda Albino, vogal da Administração dos Portos de Sines e do Algarve (APS), destacou a forma como em Sines é possível conciliar a atividade de porto industrial com projetos de aquacultura, enquadrado por um sentido de responsabilidade, social e ambiental, que promove a sustentabilidade das operações.

ANGOLA

Capturadas 45 mil toneladas de pescado no primeiro semestre

45 mil toneladas de peixe foram capturadas durante o primeiro semestre deste ano, na província de Benguela, informa o director provincial da Agricultura e Pescas, José Gomes.
Segundo o responsável, que falava à ANGOP à margem de uma visita do governador Luís Nunes ao município piscatório da Baía Farta, a referida quantidade resulta da pesca artesanal, semi-industrial e industrial.

ANGOLA

Centro de apoio à pesca artesanal anima armadores no Nzeto

O centro integrado de apoio à pesca artesanal, com capacidade de processamento de seis toneladas de pescado por dia, foi inaugurado neste município piscatório pela secretária de Estado das Pescas, Esperança Maria da Costa.

O empreendimento possui sala de processamento do pescado, loja de venda de material de pesca, oficina mecânica naval, área administrativa, sala de formação, bomba de combustível, entre outras valências.

ANGOLA

Paralisação da pesca de arrasto industrial vigora até Junho

O Ministério da Agricultura e Pescas proibiu, até 30 de Junho, a pesca comercial marítima de embarcações industriais e semi-industriais.

A medida, que se enquadra na Lei n.º 6-A/04, de 08 de Outubro, Lei dos Recursos Biológicos Aquáticos e as Medidas de Gestão das Pescarias Marinhas, da Pesca Continental, Aquicultura e do Sal, visa garantir a preservação e gestão sustentável dos recursos pesqueiros e do ambiente marinho.

 Vídeo

Sobrevoando a Restinga e a cidade do Lobito (Angola)

 XIII Congresso da APLOP | Ireneu Camacho | ENAPOR – Portos de Cabo Verde

 XIII Congresso da APLOP | Eneida Gomes | ENAPOR – Portos de Cabo Verde

 XIII Congresso da APLOP | Joaquim Gonçalves | APDL

 XIII Congresso da APLOP | Ricardo Roque | A Marca APLOP – Novos Caminhos

 XIII Congresso da APLOP | António Santos | Estudo de Mercado dos Portos dos PALOP

 XIII Congresso da APLOP | Dinis Manuel Alves

 XIII Congresso da APLOP | Segundo período de debate

 XIII Congresso da APLOP | Debate

 XIII Congresso da APLOP | Apresentação do Painel 1

 Encerramento do XIII Congresso da APLOP

 XIII Congresso da APLOP | José Renato Ribas Fialho | ANTAQ

 XIII Congresso da APLOP | Cerimónia de Abertura | Ireneu Camacho

 XIII Congresso da APLOP | José Luís Cacho

 XIII Congresso da APLOP | Massoxi Bernardo | Porto de Luanda

 XIII Congresso da APLOP | Francisco Martins | Porto de Suape

 XIII Congresso da APLOP | Cerimónia de Abertura | Murillo Barbosa

 XIII Congresso da APLOP | Cerimónia de Abertura | Abraão Vicente

 XIII Congresso da APLOP | Cerimónia de Abertura | Jucelino Cardoso

 XIII Congresso da APLOP | Belmar da Costa | Curso de Introdução ao Shipping

 XIII Congresso da APLOP | Joaquim Piedade | Zona Franca do Dande

 Constituição da APLOP

Constituição da APLOP

Foto de família