Início > Artigo > RANGEL quer liderar importações da Ásia em três anos



PORTUGAL

RANGEL quer liderar importações da Ásia em três anos


A Rangel lançou novos serviços de transporte aéreo e marítimo no mercado, destinados a facilitar as importações provenientes do continente asiático.

Com esta forte aposta, a Rangel tem como objetivo liderar as importações da Ásia dentro de 3 anos, reforçando assim, a cobertura nos 5 continentes e a oferta de serviços e soluções de transporte e logística.

No transporte marítimo, a Rangel disponibiliza o serviço de contentores completos ou de grupagens, desde qualquer porto da Ásia, com serviços diretos ou transbordo via norte da europa e ainda possibilidade de transporte multimodal. A colaboração com as principais companhias de navegação, permite
à Rangel oferecer soluções competitivas com saídas regulares e tempos de transito definidos.

Já no transporte aéreo, lançou o serviço expresso back to back, desde a origem até ao destino com 2 a 4 dias de tempo de trânsito, e o serviço economy, em 6 dias, com capacidade de despacho em trânsito e envio da carga em camião até Portugal.

“O nosso principal objetivo foi lançar serviços personalizados, focados no cliente, permitindo a visibilidade completa da cadeia logística, desde a origem até à entrega, sustentados em equipas dedicadas e especializadas em importações. A partir de qualquer ponto da Ásia oriental, sudeste asiático ou Ásia ocidental, disponibilizamos um acompanhamento 100% dedicado e perfeitamente adequado às exigências e características das mercadorias, procurando a melhor solução para os nossos clientes” referiu Nuno Rangel, CEO da empresa.

A aproximação ao mercado foi feita no último trimestre de 2016 e o balanço da operação tem sido muito positivo, com crescimentos mensais na ordem dos 25% no transporte marítimo, e de 20% na carga aérea.

Neste momento, as importações a partir da Ásia já representam mais de 10% do total de volume de negócios da linha de negócio Air & Sea da Rangel, mas estima-se que até 2020 as operações na Ásia se traduzam num crescimento de 10 a 12% ao ano.

O grosso das importações assenta em produtos e matérias-primas dos setores têxtil, farmacêutico, industrial e electrónico com origem em países como a China, Balgladesh, Vietnam, Camboja, Laos, entre outros.
 


VEJA UMA PLAYLIST COM DEZENAS DE VÍDEOS DO LOBITO, CATUMBELA E BENGUELA, CLICANDO NA IMAGEM

Lobito 2013 NO FACEBOOK - CENTENAS DE FOTOS E VÍDEOS



Data: 2017-03-28

 Vídeo

Sobrevoando a Restinga e a cidade do Lobito (Angola)

 XIII Congresso da APLOP | Ireneu Camacho | ENAPOR – Portos de Cabo Verde

 XIII Congresso da APLOP | Eneida Gomes | ENAPOR – Portos de Cabo Verde

 XIII Congresso da APLOP | Joaquim Gonçalves | APDL

 XIII Congresso da APLOP | Ricardo Roque | A Marca APLOP – Novos Caminhos

 XIII Congresso da APLOP | António Santos | Estudo de Mercado dos Portos dos PALOP

 XIII Congresso da APLOP | Dinis Manuel Alves

 XIII Congresso da APLOP | Segundo período de debate

 XIII Congresso da APLOP | Debate

 XIII Congresso da APLOP | Apresentação do Painel 1

 Encerramento do XIII Congresso da APLOP

 XIII Congresso da APLOP | José Renato Ribas Fialho | ANTAQ

 XIII Congresso da APLOP | Cerimónia de Abertura | Ireneu Camacho

 XIII Congresso da APLOP | José Luís Cacho

 XIII Congresso da APLOP | Massoxi Bernardo | Porto de Luanda

 XIII Congresso da APLOP | Francisco Martins | Porto de Suape

 XIII Congresso da APLOP | Cerimónia de Abertura | Murillo Barbosa

 XIII Congresso da APLOP | Cerimónia de Abertura | Abraão Vicente

 XIII Congresso da APLOP | Cerimónia de Abertura | Jucelino Cardoso

 XIII Congresso da APLOP | Belmar da Costa | Curso de Introdução ao Shipping

 XIII Congresso da APLOP | Joaquim Piedade | Zona Franca do Dande

 Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)

Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)